quinta-feira, agosto 28, 2003

Gostos discutem-se

Só não devo estar de acordo com o FJV (que espero tenha recebido o meu mail)em duas ou três questões essenciais. Eis uma. Podemos acusar a Joni Mitchell de tudo: hippie, feminista «après la lettre», «left-winger», ecologista da treta, ex-mulher do Graham Nash e etc. Mas, lírica e musicalmente, a senhora é um talento quase único na história da pop, uma espécie de Cohen menos inteligente e mais dotado. Como brinde adicional, já foi lindíssima. Para conferir o primeiro ponto, ouça o álbum «Blue» e depois diga coisas. Para conferir o segundo, veja «Woman of Heart and Mind: A Life Story», um dvd importado que anda na Fnac. Concedo: o título do dvd é uma lástima.