segunda-feira, setembro 22, 2003

À atenção dos ecologistas

S. Miguel - que, insisto, é lindíssimo - está em perigo. Em cada uma das inúmeras e recentes rotundas (já de si um arrepiante sinal da «modernidade»), há cartazes do PS e do PSD com declarações de amor à devastação imobiliária e ao alcatrão das estradas. Os «rosas» proclamam ter concretizado não sei quantos edifícios e um sem número de rodovias; os «laranjas» acham que é pouco e prometem acelerar a chacina. Subjacente a isto, paira a ideia de «progresso». Progresso? Virgem Santíssima: a Irlanda, a outra «ilha verde», um caso de desenvolvimento fulgurante que o dr. Durão costumava esgrimir por tudo e por nada, mantém a maioria das suas cidadezinhas (quase) imaculadas e possui uma rede viária admissível em 1930. Não há, pois, possibilidade de escorraçar os autarcas e os construtores civis de S. Miguel para Massamá ou para Gondomar? Há que respeitar o habitat específico de cada espécie animal.