segunda-feira, setembro 22, 2003

Cartas ao director

Aurora escreve:

«Vivi dois anos nos Açores. Um deles em S. Miguel.
Os Açores não deixam saudades.
Deixam uma pontada no coração. Saudades de doer.»

Depois, com inexcedível amabilidade, Nuno Barata oferece-se para adicionais esclarecimentos açorianos. Muito obrigado.
Luís Alberto Malhó de Sousa recomenda-me restaurantes de Ponta Delgada. Muito obrigado também. Quanto aos jornais, confesso que, tirando o «CM», tenho-os encontrado bem antes das oito da noite, ao contrário do que o Luís refere: lá pela hora de almoço, o «Público» e o «DN» começam a espreitar nas vitrines dos quiosques. Já o «Independente» só chegou no Sábado. O «Expresso»? Não sei. Por justa determinação do ministério do Ambiente, esse produto só pode ser vendido de forma dissimulada. E eu não costumo chafurdar nos sacos que encontro.