segunda-feira, setembro 29, 2003

Ghost World & etc.

Afinal não estou sozinho. Para começar, escreve o J. (que eu não sei se quer ver publicado o nome por extenso):

«Para grande pena minha não pude ver o Ghost World (filme), mas estou com esperanças que saia numa das colecções de DVD com que a imprensa nos anda a tentar fisgar o dinheiro.
Mas li a BD que deu origem ao filme e juro categoricamente que é a melhor graphic novel da década de 90 e também um dos melhores livros publicados na altura. Tendo em conta que a adaptação para cinema foi feita pelo próprio Daniel Clowes não me surpreende que seja excelente.
Aliás, uma das lojas especializadas em BD do Porto rebaptizou-se em honra do livro.»

[Caro J.: esqueça as colecções e roube já o dvd; alugue-o e mostre um BI falso; peça emprestado a um amigo e perca um amigo. Quanto ao livro, sempre evitei ler, com medo de comparações - decerto infundadas, a julgar pelas entrevistas ao Daniel Clowes e ao Terry Zwigoff incluídas nos «extras» do filme. De passagem: não perca o outro filme de Zwigoff, o absolutamente singular (e angustiante) documentário (sobre Robert) «Crumb». Por fim, na loja no CC Brasília sou ocasional cliente de reedições do «Spirit» e do «Mad».]

E o Nelson Gonçalves (nenhum parentesco, julgo) informa:

«Eu também adorei o filme. E não conhecia a BD por detrás do filme, e
continuo sem conhecer. No entanto, mesmo após alguns dias depois de vê-lo ainda estava atordoado. E uma banda sonora do caneco! Melhor só se tivesse uma cena lésbica entre as protagonistas (estou a brincar, acho...). Quanto ao "Punch Drunk Love" para mal dos meus pecados ainda não tive hipótese de ver... Como sinto falta de ver bom cinema...»

[Caro Nelson: não comento as suas preferências eróticas em público, mas a banda sonora é de facto quase tão sublime quanto o filme, misturando «bollywood», Buzzcoks, blues do Delta e muito do melhor ragtime alguma vez executado. E, se não é indiscrição: onde raios você mora?]

Agora sobre o «Punch-Drunk Love», é a Rita Relvas quem diz:

«Não vi, já quis alugar mas não tenho dvd... Já pensei em começar a campanha: Ofereçam um Dvd à Rita este natal para ela poder ver o Punch-Drunk Love!
Conheço a história por ter o pequeno vicio de ler a sinopse dos filmes antes de os ver. E a minha melhor amiga (que por acaso já viu o filme...) aconselhou-me: - Fuma um charro antes do filme, um durante o filme e outro depois... Não sei se vou ver o filme envolta em qualquer fumo vindo directamente de Marraquexe... Sei que o verei e isso chega-me! Adoro o blog...»

[Cara Rita: em Marraquexe não tenho conhecimentos, mas olhe que os leitores de dvd estão assim a dar para o barato. Mais caros que a grama de haxixe, mas mais baratos, com certeza, que um bilhete dos Stones no mercado oficial. E olhe que, mesmo não sendo a minha especialidade, penso que o Adam Sandler é vastamente preferível a quatro múmias vestidas de cetim. No que toca ao blogue, obrigadinho.]