sábado, setembro 20, 2003

O post possível

Logo vi. Afinal, o que a propaganda do hotel queria dizer com «internet nos quartos» referia-se à existência de uma tomada telefónica. O que não é de particular utilidade na ausência de alguma coisa que se ligue nela. Donde me encontro na livraria Solmar, sita no centro comercial homónimo, a escrevinhar um post manhoso, somente para justificar o nobre e digno conceito de blogue.
Nota curiosa: exactamente no momento em que escrevo isto, ciranda em minha volta o dr. Mota Amaral, segunda figura da nação, que já leu parte de um livrito da secção «novidades», já conversou com um fulano acerca de pesca submarina e que, ou muito me engano, ou prepara-se para abandonar o estabelecimento sem qualquer aquisição.
De resto, Ponta Delgada é precisamente o único ponto mais ou menos irrelevante numa ilha linda de morrer. Na cidade, ainda há vestígios de um passado pré-municipalismo democrático, mas não prometem vida longa. É da praxe: como em Trás-os-Montes, no Alentejo e, a espaços, nas Beiras, as razões do encanto confundem-se com as causas do atraso.
E agora vou almoçar às furnas.