terça-feira, setembro 09, 2003

O valor da raça

Agradeço ao Pedro Guedes os elogios que o Homem a Dias lhe suscita. Também aproveito para esclarecer que a generalização que eu fiz dos famosos blogues «fascistas», se excessiva, deveu-se em boa medida aos links que os ditos blogues (incluindo o Último Reduto) ostentam: uma referência declarada vale por inúmeras posições explícitas.
Sobre o António Botto, logicamente não há nada a dizer. Excepto que, vinda de onde veio, estranhei a citação de um poeta notoriamente homossexual.
Quanto ao resto, é evidente que não pensamos da mesma maneira. Não me dedico a grandes catalogações ideológicas mas, por exclusão de partes, com certeza não sou de esquerda. Agora, há na direita a que o Pedro Guedes pertence - corrija-me se estiver enganado - um sentimento de perda, um desejo omnipresente de «retorno», o apelo a uma dinâmica «regeneradora» que eu - acredite - já tentei entender em vão. Por curioso que tenha sido, o Integralismo Lusitano, em versão sebastianista, saudosista, ou revisto em amálgama para os tempos correntes, é para mim pura ficção, que há anos consumi com sincero prazer. E só. Se o Pedro lhe concede foros de Utopia «determinista», com ou sem maiúscula, com ou sem aspas, é um manifesto direito seu. Vantagens da liberdade. Façamos por conservá-la.