terça-feira, setembro 16, 2003

Pedido de auxílio urgente

Volto à carga. Pelo amor de Deus, alguém me ajude a compreender se estamos perante o maior monumento do humor nacional ou se, depois dos criminosos terem entrado na blogosfera, chegou a altura dos executivos dementes.
Desesperado, deixo mais pistas para possível análise (mas vale a pena ler tudo):

«Um bom colaborador nota-se logo pela aparência. Por exemplo, se é preto, usa cabelo comprido, brinco na orelha, barba por fazer, veste-se de gangas ou cheira mal, então posso desde já afirmar que não serve.
Não perca tempo com este individuo (sic) e passe ao próximo. (...) A questão do preto exige uma explicação. Eu não sou rascista (sic). (...) Em relação a outras raças, não posso comentar, pois lamento informar não ter experiência no assunto. Pode ser que algum dia possa experimentar um Japones (sic).»

e:

«Prometi que voltava para vos falar de backups e cá estou. Não me lembro agora o nome do melhor programa para fazer backups, mas voltarei e mencionarei-o (sic, doce sic) nesta coluna. (...) Hoje utilizamos CD's e DVD's (ainda mais recente que o CD) para fazer os nossos backups. Estes são discos opticos que funcionam por mecanismos de raios lazer (sic), pelo que devemos ter cuidado e nunca olhar para o disco quando está a gravar pois podemos danificar os olhos. (...)
Devemos fazer 2 cópias de cada disco rígido: Uma fica em Lisboa e a outra devemos envia-la (sic) para o Porto, ou no caso de se tratar de uma multinacional, podemos envia-la (sic) para outro país.
Existem multinacionais em Portugal que enviam cópias dos backups para Espanha, o que eu pessoalmente desaconce-lho (sic, fabuloso sic) muito. Se existir um tremor de terra, convém que a segunda cópia se encontre pelo menos a 5000 kilometros (sic), como sugerem estudos vários.»

Leio e releio isto e não consigo parar de rir. Mas temo que exista uma má interpretação da minha parte. Ajudem-me, por favor.