quinta-feira, outubro 23, 2003

Literatura fantástica

No «Público» de hoje, EPC volta em grande à tradição da ‘stand-down comedy’, de que ele é um dos últimos fiéis depositários nacionais. Segundo Sua Eminência, sabem o que acontece a um sujeito licenciado se o tratarem por um reles ‘Sr.’? Simples: o sujeito é assaltado por um «sentimento de irrealidade que é mais próprio da literatura fantástica do que do realismo quotidiano. Por uma simples forma de tratamento passa-se de repente para o lado de lá. E o pesadelo consiste em não saber se a viagem tem regresso...»
E o engraçado é que se calhar é verdade. Pelo sim, pelo não, experimentem dirigir-se ao Excelentíssimo Professor Doutor EPC por ‘Sr.’, e, com atenção, vejam se ele incorre no «sentimento de irrealidade mais próprio da literatura fantástica» e se, «de repente», passa para «o lado de lá». Depois esperem um pedacinho a fim de confirmar se ele regressou da viagem. Caso contrário, chamem o 112, extensão «realismo quotidiano».