segunda-feira, novembro 03, 2003

Abertura ecuménica

Por circunstâncias que ignoro (genética, socialização, o que quiserem), há pessoas com as quais nunca estou de acordo. Ou quase nunca: de longe a longe há uma ideia, uma inclinação, uma pequenita tese que se partilha inteiramente. E sabe bem. Aconteceu ontem com o artigo da Ana Sá Lopes, frase por frase, sílaba por sílaba. Espero que ela não me leve a mal.