segunda-feira, novembro 24, 2003

Cabeças no ar

Concordo: fica-nos muito bem a preocupação com as vítimas da Al-Qaeda em Istambul. Mas, quase uma semana decorrida, ninguém se lembra de inquirir sobre o estado de saúde do tal dirigente da FPF, cuja cabeça serviu à destruição do tecto do balneário francês. Se o tecto acabou naquela desgraça, em que condições estará o crânio do pobre homem? E já agora, quem é ele? A julgar pelas declarações pós-demolição, vários responsáveis sofreram graves danos cerebrais. Foram todos arremessados ao alto? Há vítimas mortais? Nós temos direito à verdade.