sexta-feira, novembro 21, 2003

E agora?

Que eu tivesse notado, quem deu a nova em primeira mão foi o Janela Para o Rio (desactualizado nos links à direita - actualizações em curso, peço desculpa): o dr. Carrilho tem um site. Pronto. Ajustem-se às cadeiras, estiquem as pernas e bebam um copo de água, que eu repito, devagarinho: o dr. Carrilho tem um site.
Precisam de um Lexotan? Compreendo-vos. Também fiquei transtornado quando soube. Doravante, a blogosfera perde boa parte da sua relevância: de que serve correr a net em busca de graças e graçolas, se as realmente hilariantes estão todas no espaço virtual que o dr. Carrilho em boa hora resolveu criar? Verdade que são involuntárias, mas isso não é argumento. Facto, facto é que são excelentes. E muitas. E de uma sofisticação só comparável à simplicidade de raciocínio do moço.
Querem exemplos? Não puxem por mim. Logo a abrir, esbarramos com uma pérola ao calhas, espécie de epígrafe em que Carrilho cita Carrilho. A que me apareceu hoje é genialmente confessional:
«Parece sempre que está tudo dito e, no entanto, é raro que se toque sequer no essencial.»
Ontem a epígrafe era ainda melhor, e incluía três vezes a palavra ‘tempo’ num curtíssimo parágrafo (infelizmente, não tive tempo para decorá-lo e o desgraçado não se deixa copiar).
Depois, entra-se e dá-se com uma página limpinha, organizada por temas como ‘Destaque’, ‘Editorial’, ‘Crónicas’, etc. Tão limpinha que nem parece albergar, sem favor nenhum, os mais desbragados momentos do humor nacional contemporâneo. Não acreditam? E o que é que ainda estão aqui a fazer? Ide, hereges, e deliciai-vos. A blogosfera terá saudades vossas.