sexta-feira, novembro 21, 2003

Turistas acidentais

Sob a égide de Derrida, Coimbra tornou-se ontem a mais recente cidade-asilo, conceito destinado ‘a intelectuais perseguidos por regimes totalitários que não reconhecem a liberdade de criação.’
Questionado sobre a adesão à iniciativa do Parlamento Internacional de Escritores, o conhecido romancista israelita Issac Rosenblum, voluntariamente exilado em Damasco após atribulada fuga de Telavive, mostrou-se satisfeito: «Nunca fui a Coimbra (nem a Espanha, de resto), mas garantiram-me tratar-se de um lugar cuja universidade está permanentemente fechada a cadeado. Os refugiados culturais de todo o mundo sentir-se-ão certamente em casa. Não consigo falar mais, estou muito comovido.»