terça-feira, janeiro 06, 2004

A água suja do fanatismo

Deu no «Jornal das 10» (ou das 9?). Um tunisino, emigrado em França, inventou a ‘Mecca-Cola’, um refrigerante alternativo para os muçulmanos que odeiam os EUA (aproximadamente 99,78%) e cujos lucros revertem (em 10%) para ‘associações palestinianas de beneficência’.
A coisa parece que está a dar resultado, já que se esgota nas prateleiras francesas e é exportada para nações prósperas como o Senegal. O sucesso é tamanho que um consumidor, entrevistado ao calhas em Paris, confessava esfusiante: «A ‘Mecca-Cola’ é o primeiro grande invento século XXI! E foi engenho de um árabe!»
O invento do século, um plágio miserável que financia terroristas? Há povos que se orgulham com facilidade. Fôssemos nós assim e a depressão jamais nos bateria à porta: até os discursos do dr. Sampaio seriam pretexto para bailarico e foguetório.