quarta-feira, janeiro 21, 2004

Sôdade, sôdade

Uma pessoa termina as férias; percorre milhares de quilómetros em aviões diversos; entra em casa; hesita entre desfazer as malas ou ligar a televisão; como qualquer liberal imbecil, opta pela televisão. E? E depara com o sr. Júlio Isidro a comandar uma homenagem a Ary dos Santos. Só então uma pessoa percebe mesmo que voltou a Portugal. A recorrente lágrima começa a rolar e o ânimo passa de moderato cantabile a andante lugubre. É assim.