terça-feira, março 02, 2004

Todo um programa

Ao contrário do Pedro Mexia, não tenho amigos na esquerda ou na direita. Quer dizer, na direita tenho um, a que aliás penso que o Pedro alude, mas não é nada ortodoxo. Os meus amigos, três ou quatro bem contados, não votam. Excepção ao já referido, julgo que não possuem cartão de eleitor e têm uma vaga ideia sobre quem é o actual primeiro-ministro.
Antes assim: eu também não divido nem congrego as pessoas de acordo com a crença ideológica. Para mim, a única separação válida que aplico às pessoas que me rodeiam é a disciplina de sono. Há os que se impõem horas de dormir e os que dormem quando calha - e se calha. Os primeiros são, não restem dúvidas, mais decentes, confiáveis e aborrecidos. Os segundos constituem o meu círculo de amizades. Altamente comprometedoras, reconheço.