quinta-feira, julho 29, 2004

Para o Nuno Guerreiro

Embora sem nunca referir a respectiva etnia árabe, eu até era por exemplo capaz de comentar os propósitos de uns sujeitos, que, obedecendo a uma tradição local, entraram numa aldeia do Darfur, roubaram o que puderam, acorrentaram uns pretos e deitaram-lhes fogo. Infelizmente, ando muito indignado com o vergonhoso muro da Cisjordânia e não tenho tempo.