terça-feira, setembro 21, 2004

34 anos: nem Cristo, que é Cristo, sabe o que é tê-los

Como é de bom tom, esperei que a populaça se acalmasse para desejar, com a serenidade que a ocasião pede, os maiores e mais requintados parabéns à Charlotte: parabéns!
(Pronto, distraí-me, a data passou-se-me, não estava cá, anda por aí uma gripe. Que é que querem? Nunca vos aconteceu? Desculpa, Carla.)