domingo, outubro 17, 2004

Au-delà des apparences

Caro Américo: nem mimos nem polémica. A consideração que o Luis me merece e a irrelevância do Derrida na minha vida não me deixariam inverter os valores que importam e, digamos, desconstruir o essencial. Além do mais, até acho que o Luís tem certa razão: o post sobre o Grand Jacques era uma graçola assim a dar para o “correcto” (ou um “texto da moda”, como ele prefere). Mas, convenhamos, antes isso que concordar com o Eduardo Prado Coelho: já me custa o suficiente evocar o Heisenberg.

PS: E agradeço a sugestão do restaurante. Sabe, Américo, a verdade (se a verdade podesse ser enunciada) é que eu já não vou à Bairrada há demasiado tempo.