quarta-feira, outubro 06, 2004

E este Marcelo, também vai para a Madeira?

Houve algum golpe de Estado na minha ausência? E nos blogues, ainda se pode escrever? Ainda há blogues?
Por via das dúvidas, deixo aqui lavrado que não tenho nem nunca tive qualquer ódio pelo Senhor Doutor Santana Lopes. Mais afirmo que acho o Senhor Doutor Santana Lopes uma figura de excelsa valia, e um exemplo a seguir por todos os patriotas dignos, ou indignos, desse nome. Eu gosto, não, eu amo, não, eu venero de modo incondicional o Senhor Doutor Santana Lopes e não sei de facto o que seria a minha vida sem a sublime existência dele. Juro por tudo quanto é sagrado, incluindo a Alta Autoridade para a Comunicação Social, a TVI e aquele portentoso rapaz do divino PSD que se chama Gomes de Não Sei Quê e pelo qual eu nutro igualmente um desmedido respeito.
(E depois é um disparate lamentar-se a demissão do prof. Marcelo. Quando calaram o outro Marcelo, o pessoal saiu à rua e a pândega durou meses. Embora aí? O champanhe não é por minha conta.)

PS: Se quisermos outra versão conspirativa, também não custa admitir que o prof. Marcelo aproveitou o delírio de um ministro para se demitir e criar uma pequena tempestade. Ao exercício podemos chamar vingança. É compreensível e muito mais interessante que os sermões de domingo.