terça-feira, dezembro 28, 2004

Silent nights

Leio prosa publicada. Com propósitos mais ou menos apologéticos, meio mundo comenta o seu Natal. As compras. O convívio. A árvore. A ceia. O “espírito”. Ora pois. Tal como os vagabundos, os velhos, os solitários e, genericamente, todos os destinatários da mensagem televisiva do dr. Santana, eu não frequento nada disso. Nada. Os motivos é que são distintos, para infelicidade daqueles, para meu imenso alívio.

PS: Embora haja quem prefira a ocultação, a verdade é que no dia 25 passei longas horas em casa deste particular prosador, a ver a League of Gentlemen e a jogar Pro Evolution Soccer. Saí pela noitinha, convertido à série, enquanto outros, de tão humilhados, ficaram (espero) convertidos à minha mestria no futebol virtual. E não, para grande desgosto da política, não a mencionámos uma única vez.