quarta-feira, abril 06, 2005

Notas de rodapé

O espírito galês que tomou conta deste blogue reflecte-se na coluna à direita. Há foto fresca de Hay-on-Wye (o centro do mundo) e poema de Dylan Thomas dito por Dylan Thomas (olha a coincidência!). Já na Caixinha de Música, o produto é irlandês, visto que não conheço cantiga galesa de que goste, com a possível excepção de What’s new, Pussycat?, interpretada por Tom Jones (de Gales, sim) mas composta por Burt Bacharach e Hal David, dois pérfidos judeus dos EUA.
Assim, temos Galway Bay, do dr. Arthur Colahan, um médico da prisão de Leicester roído pelas saudades da terra natal. Em 1952, quando Galway Bay foi lançada e começava a fazer sucesso, o dr. Calahan estava felizmente de regresso ao lar, infelizmente sob a forma de cadáver, ainda morno. A canção foi celebrizada por Bing Crosby e sobretudo pela cena na taberna do filme The Quiet Man (de 1952, lá está, mas sem referir o dr. Colahan no genérico). Ambas as versões são muito boas. Não sei porquê, prefiro-lhes esta, de Slim Whitman, um yodeler da Florida que chegou a ser bastante popular na Europa.