terça-feira, maio 03, 2005

E isto para não me limitar à obra completa do dr. Carrilho

O Ricardo e o Miguel sugeriram que respondesse ao seguinte questionário. O Miguel supôs que eu invocasse o meu “estatuto de intelectual” (sic) para evitar a maçada. E supôs bem. Só que fartei-me de invocá-lo e o desgraçado não veio. Donde o que se segue.

1. Não podendo sair do Fahrenheit 451, que livro quererias ser?

Não podendo sair do Fahrenheit 451? Um dos que escapassem ao fogo. Mas, pelo que me lembro (li isso para aí há vinte anos e nunca vi o filme), no final os livros só sobreviviam na cabeça das personagens, o que não dá grande jeito.

2. Já alguma vez ficaste apanhado por um personagem de ficção?

Claro. Pelo Espírito do Capitalismo, co-protagonista de A Ética Protestante…, de Weber.

3. Qual foi o último livro que compraste?

Uma biografia do S. J. Perelman. Uma biografia da Judy Holliday. O Why Globalization Works, de Martin Wolf. (Chegaram juntos pela Amazon).

4. Qual o último que leste?

Age and Guile, P. J. O’Rourke

5. Que livros estás a ler?

A tal biografia do Perelman. O Fora de Manaus, do Francisco José Viegas. Os Kilvert’s Diaries, de Francis Kilvert.

6. Que 5 livros levarias para uma ilha deserta?

Qualquer um que ensinasse a pescar. Qualquer um que ensinasse a cozinhar peixes. Os Journals do Capitão Cook, para me animar. Os Diários do Capitão Scott, para me resignar. O Suicídio, Modo de Usar, de dois tarados franceses, para me ir embora.

7. A que 3 pessoas vais passar este testemunho?

Ao João (já estou farto da sentença do Burke). Ao Carlos (não gosto dos Lambchop). Ao Sérgio (antes de ele partir para Praga).